175 anos da Ferrovia Íbero-americana

Quando a ferrovia apareceu na Inglaterra no início do século XIX ela prometia acabar com a tração animal e dar um salto de qualidade nas viagens. Em pouco tempo ela se espalhou pelo mundo prometendo revolucionar os deslocamentos, reduzindo o tempo de viagem e aumentando a capacidade.
Símbolo da primeira revolução industrial junto com os novos teares e as máquinas a vapor a ferrovia significou a ruptura com o passado e início da modernidade por onde passou.
Quando a ferrovia chegou na América Latina não foi diferente e, aos poucos, foi sendo implantada em todos os principais países, ligando as principais cidades, reduzindo custos e melhorando a qualidade de vida, enfim, cumprido as expectativas.

E foi no remoto ano de 1837 que Cuba construiu a primeira ferrovia não só da América Latina, mas também da Peninsula Ibérica ligando Havana – Guinness, mas que no primeiro trecho chegava só a Bejucal.

Hoje Cuba conserva um dos maiores acervos de locomotivas a vapor do mundo; um precioso museu; uma enorme diversidade de locomotivas indo dos EUA antes do bloqueio, passando pelos equipamentos soviéticos e do leste europeu até os atuais chineses; carros de passageiros espanhol, alemão oriental, francês etc; diversas linhas de passageiros; a maior densidade ferroviária das Américas entre outros atrativos.

Por isso, no dia 19 de novembro quando a ferrovia íbero-americana completar 175 anos, Cuba terá muito que comemorar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *