A Estrada de Ferro Caminho das Águas

A EFCA foi construída pela Prefeitura Municipal de Ipatinga na rara bitola de 80 cm. No Brasil temos
similar somente a ferrovia de 8 km da usina hidroelétrica da Companhia Docas de Santos, em Itatinga, São Paulo (nome coincidentemente parecido com Ipatinga). Foi inaugurada em 12 de junho de 1999, possuindo 2,6 km de extensão, trilhos TR 37, adquiridos da Ferrovia Centro Atlântica, lastrados com escória de aciaria, bem como AMV’s, pregos, tirefonds e talas de junção. A estrada de ferro foi construída em 60 dias e, tanto o seu projeto como execução, respeitaram os critérios das normas ambientais. Além do uso da escória de aciaria como lastro, a mesma usada na EF Vitória a Minas; foram utilizados dormentes de eucalípto tratado, madeira oriunda de plantação de manejo sustentável. Os dois giradores instalados nas extremidades da ferrovia foram construídos em Ipatinga e medem 10 metros. Esse equipamento é de suma importância para a segurança da operação, uma vez que em uso não há necessidade de trafegar com a locomotiva em recuo. Poucas estradas possuem esse equipamento, inclusive a própria ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária) adquiriu semelhantes há poucos anos atrás.

É importante observar que o traçado da linha férrea é quase todo dentro do espaço do Parque Ipanema e o nome “Caminho das Águas” foi dado devido a mesma estar margeando o ribeirão Ipanema, principal curso d’água que corta a cidade.

A arquitetura da Estação Ferroviária Pouso de Água Limpa e da Oficina foi inspirada, na parte externa,
nas estações ferroviárias do interior de Minas Gerais e o seu nome teve origem no próprio nome da cidade que, no idioma Tupi: I+PA+TINGA, significa Pouso de Água Limpa.

A Estação Ferroviária Pouso de Água Limpa, está situada no Novo Centro, no km 0,2, e a Oficina
de Manutenção, equipada com vala, está no km “0”. Possui dois desvios para manobras, situados em cada
extremidade da linha férrea, com dois aparelhos de mudança de via (AMV), cada um, e dois giradores de 10 metros para mudança de direção da locomotiva, em cada extremidade.

Possui o seguinte material rodante:

– Locomotiva a Vapor, tipo 0-6-0, de origem alemã, construída por Arn Jung em 1937 sob o número de
série 7407, com peso aproximado de 18 toneladas e própria para queima de lenha e bagaço de cana-de-açúcar (foi adquirida da Usina Pureza, de São Fidelis/RJ e usada em canaviais na produção de açúcar ).

– Dois carros de passageiros, cada um com capacidade para 34 passageiros sentados, construídos nas
próprias oficinas da Prefeitura, com estrado e truques cedidos pela ABPF.

– Um trole manual para manutenção da via permanente, construído em 2007

– Um auto de linha.

A Estrada de Ferro Caminho das Águas torna-se especialmente interessante por ser a única ferrovia no
Brasil que trafega em bitola de 80 cm, daí a sua importância histórica e cultural .

Participe de um passeio para conhecer a EFCA em 01/12/2012!

Um comentário sobre “A Estrada de Ferro Caminho das Águas

  1. E uma pena que nao estar funcionando mais,gostaria muito que alguem da prefeitura de Ipatinga responsavel pela EFCA tomase uma providencia e colocase-a para fucionar e um ponto turistico muito importante p/nosa cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *