À ONGTREM com carinho

A ONGTREM com carinho

O peso da composição de um trem de ferro,
é proporcional,
aos desafios, lobbies e forças contrárias,
à energia empregada para o resgate desta inteligente forma de transporte;
não carece portanto,
que a gente o carregue ainda mais,
com um fardo de desavenças ou melindres de governos e instituições,
nem mesmo pelo pessimismo conveniente,
do empreendedorismo selvagem que o rege.
Talvez as linhas retas, duras e fixas dos trilhos e até o romantismo,
nos fizeram alheios à uma política mais ousada, flexível,
e atual para o novo mundo.
Se não podemos contra eles,
quem sabe,
não seria prudente,
aproveitar essa reversa força motriz,
em favor da volta do trem;
já que o prejuízo na economia,
ainda não nos despertou para a razão,
nem mesmo a visão bizarra,
do Brasil sendo carregado nas costas de caminhões, em ônibus e em carros,
causando mortes no trânsito,
atrasos e retardamento no progresso.
Melhor que deixar como está,
é aceitar aqueles mesmos nomes de sempre,
que encabeçam o rol da fama, público e privado,
com as mesmas empresas e siglas do ramo ou fora dele,
se adaptando à este modal.

Jesse Marlon

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *