A ONGTrem

A Associação TREM – Transporte e Ecologia em Movimento é uma organização sem fins lucrativos, sem discriminação de cor, de credo religioso ou de orientação política.

Seus fundadores são engenheiros, economistas e comunicadores, especialistas em transporte e que se preocupam com os aspectos ambientais e econômicos do transporte.

Nosso objetivo principal é promover formas de transporte sustentáveis do ponto de vista ambiental, como a bicicleta, o uso de combustíveis renováveis, como o etanol e o biodiesel, e modos de maior eficiência econômica, como o transporte ferroviário, de cargas e passageiros.

Ongtrem é uma ONG voltada ao transporte e à ecologia em movimento
Lançada oficialmente em 2002 visando à criação de um fórum permanente de debates entre profissionais de transporte e a sociedade a ong propõe uma nova mobilidade a partir de uma revisão da matriz de transporte e da matriz energética que dá suporte aos modos de transporte, tanto para o deslocamento urbano quanto regional. Essa revisão visa apropriar as novas tecnologias disponíveis, a nova ética ambiental e uma política responsável na construção de uma sociedade mais fraterna e justa.
A ongtrem foi idealizada na realização da primeira manifestação Na cidade sem meu carro, ainda em 2000, através da participação voluntária de centenas de funcionários da BHTRANS, empresa responsável pelo gerenciamento do transporte público e pelo trânsito de Belo Horizonte.

Em 2001, começaram as primeiras discussões sobre mudança energética no transporte público de Belo Horizonte conduzido pelo economista Francisco Oliveira. Esses estudos levaram ao trabalho pioneiro apresentado em 2003 no Fórum Social Brasileiro denominado “A importância estratégica do biodiesel”, sendo o primeiro a abarcar a demanda por combustíveis não poluentes nos transporte público das grandes cidades, as características químicas das emissões do biodiesel e o estudo econômico de toda a sua cadeia produtiva. Atualmente, os estudos apontam para a Macaúba como a melhor fonte de bioenergia e para o seu desenvolvimento foi criada uma grande rede de pesquisadores, denominados macaubeiros, em todo o Brasil.
Em 2002, a ongtrem foi oficialmente fundada na seda do Clube Albert Scharlé em Sabará e contou com um Trem de passageiro exclusivo com três vagões cedido pela Vale. Após a sua criação houve uma série de manifestações pela volta dos trens de passageiros em todo o Brasil, principalmente nos ramais da antiga Estrada de Ferro Central do Brasil, mas ainda sem muito sucesso.
Em 2003, a ong realizou uma grande campanha pela volta dos bondes a Belo Horizonte sugerindo a utilização das linhas ainda existentes no centro da cidade. Essa campanha influenciou a criação da Sociedade Cultural Saudade do Bonde propondo firmar um convênio como bairros irmãos, Santa Tereza do Rio de Janeiro com Santa Tereza de Belo Horizonte e a criação de uma linha turística na capital mineira nos moldes do bairro carioca. Em 2005, a Prefeitura de Belo Horizonte chegou a divulgar a volta do trem turístico entre o Mercado Municipal e o Museu Mineiro.

Em 2004, juntamente com a AMAB (Associação Mineira dos Amigos da Bicicleta), a Primotur e a Haja Banana realizaram a primeira Bicicletada de Belo Horizonte, chegando a articular uma bem sucedida manifestação de reivindicação de ciclovia para a Av. Vilarinho na Zona Norte de Belo Horizonte.
No ano de 2005, durante a campanha “Na cidade, sem meu carro” a ong apresentou o teste de Carro dependência, expondo a dependência da sociedade moderna ao transporte motorizado individual.

Nas comemorações dos 150 anos da Estrada de Ferro Central do Brasil a ongtrem foi agraciada com a Placa Alusiva as homenagens feitas pela Assembléia Mineira à ferrovia inaugurada em 1858 e que trouxe a modernidade para as Minas Gerais.

As pesquisas recentes sobre levitação magnética, ou Maglev, efetuadas pelo Dr. Eduardo David da COPPE/UFRJ na área de transportes pode colocar o Brasil de novo na vanguarda na adoção de novos meios de transporte e a ong vem acompanhando de perto esses trabalhos.

[grid_row]
[column width=”4″]

 Transporte e Mobilidade

Acreditamos que assim como a agricultura, o transporte e os sistemas viários necessariamente impactam o meio ambiente, mas acreditamos também que estes impactos podem ser minimizados, como menor uso do transporte individual motorizado, mais transporte não motorizado e coletivo, maior rede de trens para passageiros. Hoje as grandes cidades brasileiras estão quase parando, paralisadas por congestionamentos, que são criados por cada um de nós que usa o automóvel para transitar em vias saturadas.

[/column]
[column width=”4″]

 Cultura e História

Nosso objetivo principal é promover formas de transporte sustentáveis do ponto de vista ambiental, como a bicicleta, o uso de combustíveis renováveis, como o etanol e o biodiesel, e modos de maior eficiência econômica, como o transporte ferroviário, de cargas e passageiros.
[/column]
[column width=”4″]

 Biocombustíveis

O futuro do transporte passa necessariamente pelos biocombustíveis. Embora outros combustíveis renováveis como o hidrogênio e a eletricidade possam ter papel importante nas próximas décadas, eles apresentam problemas: o hidrogênio requer muita energia para ser produzido, e há dificuldades de armazenagem. A eletricidade não pode ser armazenada para aplicações de alto consumo como navios e grandes aviões. As melhores fontes de biocombustíveis são a macaúba e a cana de açúcar, que geram empregos e produzem simultaneamente energia e alimentos.
[/column]
[/grid_row]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *