SINERGIAS ENTRE FERROVIAS E BICOMBUSTÍVEL

O que é sinergia?

É quando uma coisa ajuda outra, e vice-versa, como uma mão que lava a outra.

 

Ferrovias e a produção de biocombustíveis apresentam sinergias interessantes e que não devem ser ignoradas. Por exemplo, a ferrovia fornece transporte barato para biocombustíveis, que por sua vez podem fornecer um grande volume de cargas a serem transportadas, como biodiesel, etanol e carvão vegetal, ajudando a ferrovia a se viabilizar economicamente.

 

O biodiesel é um combustível ecológico para locomotivas, e que pode ter grande produção, com plantios de dendê e macaúba ao lado das ferrovias.

O dendê já está sendo plantado no estado do Pará para atender ao consumo das locomotivas que atendem a ferrovia São Luiz-Carajás, da  Vale.

 

A macaúba poderá ser plantada em grandes áreas, próximas a ferrovia Belo Horizonte -Salvador cujas obras devem começar em 2013. O início de operação desta ferrovia, daqui a 5 anos poderá coincidir com as primeiras produções de óleo da polpa de macaúba, matéria-prima barata para produção de biodiesel de ótima qualidade, biolubrificantes para a via permanente e para o material rodante, alcatrão vegetal para imprimação do leito da ferrovia, e alimentos para os funcionários da ferrovia.

 

A ferrovia é uma captadora de água de chuva, que deve ser armazenada para irrigar a produção de biocombustíveis, e obviamente de outros produtos agrícolas. Um quilometro de ferrovia tem 1.100 m² de canaletas de drenagem nas suas laterais e 7.000 m² de área impermebilizada no leito da via permanente.

 

A cana–de-açucar produz muito bagaço,  que pode ser usado para geração de energia elétrica local, para oficinas de manutenção ou mesmo para eletrificação de ferrovias. Cinzas de cana são insumo para produção de cimento usado para produção de dormentes.

O bagaço é uma ótima opção para produção de composto agrícola, para re-vegetar e proteger taludes.

 

Estas idéias são exemplos de sustentabilidade, a serem colocadas em prática. Mas é preciso começar.

 

Há outras possibilidades de sinergias entre ferrovias e biocombustíveis, vamos botar a cabeça para pensar.

 

A FERROVIA PRECISA SER SEMEADA

 

Junto com a implantação das novas ferrovias, devem ser estimuladas as atividades econômicas que ajudarão a viabilizar a ferrovia. Isto já aconteceu antes, por exemplo, a colonização do norte do Paraná, estimulada e bancada pelas empresas ferroviárias.

 

(Francisco Oliveira – ONGTREM)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *